quinta-feira

Ora que melhora

Como o PT arrecada nas campanhas políticas

Campanha de Vacinação contra o vírus da Corrupção


Tem gente que morre de medo de injeção!

Leãozinho

Seu Habib

Esse é o Raul



Aquele que está amarrando a venda no prisioneiro e o que está apontando a arma para a nuca do mesmo, é Raul Castro, irmão de Fidel Castro e atual presidente de Cuba. Estas imagens são do tempo da revolução cubana, o que, para muitos, principalmente petistas, justifica os métodos de extermínio dos inimigos. Ocorre que, passados mais de 60 anos e em pleno século XXI, o desrespeito aos direitos humanos, como a prisão arbitrária e tortura, ainda é regra na ilha-prisão de Fidel e Raul e que tem total apoio do governo esquerdopata brasileiro.

quarta-feira

Troféu PRIVADA

Neste nosso retorno, a Equipe de O Porconauta o faz em grande estilo. Instituimos o Troféu "PRIVADA" cujo objetivo é homenagear aquelas personalidades que se destacam pela cagada que dão. Nesta primeira edição os indicados são: a Secretária dos Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, por defender o governo de Cuba, que tortura e mata; o governador de Goiás, Marconi Perillo, por não dar ao professor o devido reconhecimento; o senador Demóstenes Torres, por seu envolvimento com a pilantragem; e, por fim, aquele idiota que anda pelas ruas da cidade com o som alto, incomodando as pessoas, poluindo o ambiente com o barulho e com a sua própria pessoa.

quinta-feira

Um partido de criminosos

Leiam o que informa Marília Rocha, na Folha Online.

*
Familiares do prefeito de Campinas (93 km de São Paulo) Antonio da Costa Santos, o Toninho do PT, assassinado no dia 10 de setembro de 2001, pediram que a investigação do crime, ainda não esclarecido, passe para a Polícia Federal. Eles protocolaram ontem (9) um pedido para que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, se manifeste sobre a federalização do crime e a conseqüente investigação pela PF.

De acordo com o advogado da família, William Ceschi Filho, já há, desde 2007, um procedimento com esse pedido, mas é a primeira vez que o procurador-geral da República é questionado a respeito do chamado incidente de deslocamento de competência, argumento que pode ser utilizado apenas por ele em casos de violação de direitos humanos, em qualquer fase de um inquérito ou processo. Caso seja favorável aos argumentos da família, o procurador-geral poderá solicitar ao Superior Tribunal de Justiça que o caso seja deslocado para a Justiça Federal e Polícia Federal. Atualmente, está com a Polícia Civil.

“Esse argumento já foi utilizado outras vezes, quando houve grave desrespeito aos direitos humanos e tratados internacionais”, afirmou Ceschi Filho. “Dez anos se passaram da morte do prefeito sem que linhas importantes fossem seriamente investigadas. É preciso que o caso mude de mãos”, disse. O prefeito foi assassinado após permanecer oito meses no governo. Quando saía de um shopping da cidade, dirigindo seu carro, foram disparados três tiros contra ele.

Em setembro de 2007, o juiz José Henrique Torres, de Campinas, decidiu –alegando falta de indícios - não aceitar a denúncia contra o seqüestrador Wanderson de Paula Lima, o Andinho, acusado pelo Ministério Público e Polícia Civil de ser um dos autores do crime. Para a família, a motivação foi política e há outras suspeitas de autorias em áreas cujos interesses o então prefeito confrontou.

O Ministério Público recorreu, mas o Tribunal de Justiça decidiu, em janeiro de 2009, reabrir as investigações. Um novo inquérito foi aberto na Delegacia Seccional de Campinas e, no início deste ano, mudou de mãos, passando para o delegado do setor de homicídios, Ruy Pegolo.

Reinaldo Azevedo escreve sobre o artigo acima

Toninho foi assassinado quatro meses antes de Celso Daniel, o também prefeito e também petista — no caso, de Santo André — , morto no dia 18 de janeiro de 2002. Há dois aspectos em comum entre os dois casos:
a - as respectivas famílias não aceitam a tese de crime comum;
b - as duas famílias acabaram rompidas com o PT, sugerindo que o partido manifestou pouco interesse em investigar a morte até o fim.

Roseana Garcia, a viúva de Toninho, nunca se conformou com a hipótese de crime comum e sempre pediu para que a Polícia Federal entrasse no caso. Na campanha de 2002, Lula prometeu que faria isso se fosse eleito presidente. Nunca mais tocou no assunto. Roseana não conseguiu nem sequer se encontrar com ele depois.

No depoimento da CPI dos Bingos, em 2005, Roseana afirmou ter a convicção de que seu marido morrera em razão de uma tramóia política. Ela se disse, então, estarrecida com a morte de Carlos Delmonte Printes, legista que fez a autópsia no corpo de Celso Daniel e que apontou que o prefeito tinha sido vítima de tortura, o que enfraquecia a tese do crime comum. Para ela, os dois assassinatos estão relacionados, tese que o PT nunca abraçou. Num programa Roda Viva, o já presidente Lula — aquele que prometia pôr a Polícia Federal no caso — afirmou que se tratava mesmo de crime comum.

Roseana continua no Brasil, lutando para saber quem matou o marido. Um dos irmãos de Celso, Bruno Daniel, sua mulher, Marilena Nakano (ex-quadro do PT), e filhos vivem hoje como exilados na França. Ameaçados de morte, tiveram de deixar o país. Outro irmão do prefeito, João Francisco Daniel, também ameaçado, não revela onde mora. Eles sustentam que Celso havia criado um esquema de desvio de recursos da cidade para o PT e que foi assassinado quando descobriu, digamos, um desvio do desvio.

Petistas de Santo André prosperaram no governo federal. Dois secretários de Celso pertencem hoje ao primeiro escalão: Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência, e Miriam Belchior, ministra do Planejamento, que já era ex-mulher de Celso quando ele foi assassinado. João Francisco Daniel diz que Carvalho lhe confessaram que levava malas de dinheiro de Santo André para o PT, entregando-as a José Dirceu. Os dois negam.

Por Reinaldo Azevedo

quarta-feira

Mão cheia

Lí em um desses jornais(?) que circulam por aí que a Presidente DILMAnta não está titubeando diante de tantas denúncias de corrupção, que ela é uma administradora de mão cheia. A bem da verdade, em se tratando do PT, estão todos com a mão cheia, quiçá os bolsos, também.

Indignação, onde está você?

Em 1964 com a bravata de colocar ordem no país, os militares, via golpe de estado, tomaram o poder, fecharam o congresso e cercearam, aos brasileiros, direitos e liberdades. Por não concordarem com a nova ordem pessoas foram presas, torturadas, algumas até hoje permanecem desaparecidas; teatros e faculdades foram invadidos, artistas, músicos, atores, cineastas, teatrólogos, cientistas foram para as ruas gritar contra a ditadura militar e muitos deles foram presos, outros foram deportados, a produção artística foi censurada, mas o brasileiro estava nas ruas exigindo o retorno do estado de direito. Desde que se instalaram no poder os militares nunca se viram livres de movimentos, por menor que fossem, exigindo o retorno do país à democracia e um dos principais foi a Campanha Pelas Diretas Já. Aos poucos os militares foram percebendo que já era hora de voltar para o quartel e deixar o país ser governado pela vontade popular. Foram 30 anos de muita luta. Muito mais que pessoas, a indignação estava nas ruas.

Já estamos no 6º governo desde que a eleição para presidente retornou ao cenário político do Brasil; já se vão 20 anos e alguns meses desde o primeiro presidente eleito pelo povo. Nos últimos 8 anos e 8 meses de governo petista, nunca se roubou tanto nesse país; hoje o Brasil é responsável por 46% de todo o volume de dinheiro fruto da corrupção, no mundo todo; os escândalos envolvendo a alta esfera do executivo federal, desde o mensalão, se sucedem numa velocidade espantosa; obras superfaturadas em todo canto, impunidade para os bandidos do governo, e as obras para a copa do mundo e olimpíada mal começaram. O que vocês acham que irá acontecer? Um hospital público, especializado em ortopedia e traumatologia, está sendo construído no Rio de Janeiro e, claro, já está sob suspeita de superfaturamento. O valor até aqui? R$23milhões. Se fosse construído em condições normais sairia por uns R$15milhões. A cerimônia de sorteio dos grupos das eliminatórias da Copa de 2014, realizada no Rio de Janeiro, consumiu, em um só dia e em poucas horas, a bagatela de R$30milhões do dinheiro público, ou seja, daria pra construir 2 hospitais, ou, poderia pagar o aumento pleiteado pelos bombeiros ou para os professores que estão em greve. Aliás, diga-se, o soltura dos bombeiros cariocas não teve outra origem se não a movimentação da opinião pública.

O estádio do Maracanã, para receber os jogos pan-americanos, em 2007, foi reformado ao preço de R$620milhões. Para a copa do mundo estão sendo gastos mais R$1bilhão, dinheiro que daria para reconstruir duas vezes a cidade de Terezópolis, devastada pelas enchentes. Hoje, a cidade ainda é um monte de escombros. O Palmeiras está reconstruindo seu estádio sem dinheiro público. Valor da obra: R$300milhões; da mesma forma, o Grêmio de Futebol Portoalegrense está reconstruindo o estádio Olímpico. Valor da obra, sem dinheiro público: R$400milhões. O estádio do Corínthians, o Itaquerão, que será bancado, também, por dinheiro público está orçado em R$820milhões, ou seja, daria pra construir 2 estádios iguais ao do Palmeiras e ainda sobrava pra dar aumento para os professores. Com o detalhe de que o Itaquerão é um estádio particular construído com dinheiro público. Agora, imaginem os outros estádios. Depois ainda tem as obras para os jogos olímpicos. Imaginem o rio de dinheiro que ainda se vai gastar. E assim as coisas caminham, rouba-se daqui, rouba-se dali, o governo trata de se esquivar de todas as maneiras possíveis e impossíveis das acusações e fica tudo por isso mesmo.

Em 1964, como dito anteriormente, a justificativa dos militares pra derrubar um governo legitimamente eleito foi a de colocar ordem na casa. Na verdade, os militares foram motivados pela fobia em relação ao perigo vermelho (comunistas), fobia esta arquitetada pelos EUA. De qualquer forma, o povo foi para as ruas, lutou, brigou, apanhou, morreu, desapareceu, etc. Hoje a casa está em uma muito maior desordem do que em 1964 e as ruas estão vazias.

Desde que o estado de direito foi reconquistado, o primordial em situações críticas e que pedem a participação da população, infelizmente, falta ao brasileiro, ou melhor, o brasileiro a perdeu pelo caminho. Se hoje vivemos em uma democracia é porque nos indignamos com a barbárie cometida pelos militares; se reconquistamos as liberdades democráticas é porque nos indignamos com a censura, com a arbitrariedade. Hoje, com toda essa esculhambação que se instalou em Brasília acredito que boa parte do governo deveria ter, como disse Reinaldo Azevedo, gabinete na Penitenciária da Papuda, mas não é isso que assistimos e sabem porque? Porque, hoje, o brasileiro perdeu a capacidade de se indignar. E isso é cruel, muito cruel com esta e com as próximas gerações.

O Brasil, só voltará a ser Brasil quando o último petralha e seus capachos deixarem o banco dos réus com destino á cadeia. E que seja breve.

Pequenas empresas, grandes negócios



terça-feira

Leiam com atenção, é de muito interesse

Gente vcs precisam saber disso. Minha moto, uma Suzuki Intruder 125, foi financiada integralmente em 48 prestações de R$173,00. Restam 8 parcelas, daí que me ocorreu procurar saber de quanto seria o desconto caso eu resolvesse quitar as 8 parcelas restantes. Entrei no site da financeira, digitei o número do contrato e... SURPRESA!!! Não foi grande, mas foi uma surpresa: o valor da prestação que aparece no contrato é de R$168,00, ou seja, R$5,00 a menos do que o valor que vem no carne. Liguei no 0800 pra saber o porquê daquela diferença e a moça me disse que era uma taxa para confecção do carnê. No meu caso, quando tiver pago a última prestação, terei pago R$240,00 por um carnê. Só que... SURPRESA novamente! A moça disse que eu poderia solicitar o ressarcimento daquele valor e foi o que fiz. De acordo com ela, em 10 dias o dinheiro será depositado na minha conta. É o que ela disse. Vou aguardar. E o mesmo aconteceu com um carro anterior ao que possuo atualmente e que, também, era financiado. Da mesma forma, solicitei o ressarcimento da diferença. Assim, se vc pagou um financiamento de carro ou moto, procure se informar a respeito.

sexta-feira

Sai um, entra um qualquer

Nelson Jobim não é mais o Ministro da Defesa. Sua saída não foi por roubalheira, nem por envolvimento com a corrupção, marcas registradas dos governos petistas, muito pelo contrário. Respeitado pelos partidos de oposição e, principalmente, pelas Forças Armadas, Jobim, desde quando era ministro no governo do grande molusco, desenvolveu um trabalho responsável e consistente. Sua atuação foi permeada por um comportamento de independencia em relação às picuinhas político-partidárias. Em seu lugar, por determinação do grande molusco, Dilma "O POste" Roussef nomeou o ex Ministro das Relações Exteriores do governo passado, Celso Amorim. Para ocupar uma pasta da importância de um Ministério da Defesa, evidentemente que o conjunto da obra do indicado deve prevalecer sobre suas preferências políticas. Não foi o caso de Celso Amorim. Sabem porque? Vejam, abaixo, algumas pérolas de sua passagem pelo Itamaraty. (extraído de artigo do jornalista Reinaldo Azevedo)

NOME PARA A OMC
Amorim tentou emplacar Luís Felipe de Seixas Corrêa na Organização Mundial do Comércio em 2005. Perdeu. Sabem qual foi o único país latino-americano que votou no Brasil? O Panamá!!! Culpa do Itamaraty, não de Seixas Corrêa.

OMC DE NOVO
O Brasil indicou Ellen Gracie em 2009. Perdeu de novo. Culpa do Itamaraty, não de Gracie.

NOME PARA O BID
Também em 2005, o Brasil tentou João Sayad na presidência do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). Deu errado outra vez. Dos nove membros, só quatro votaram no Brasil - do Mercosul, apenas um: a Argentina. Culpa do Itamaraty, não de Sayad.

ONU
O Brasil tenta, como obsessão, a ampliação (e uma vaga permanente) do Conselho de Segurança da ONU. Quem não quer? Parte da resistência ativa à pretensão está justamente no continente: México, Argentina e, por motivos óbvios e justificados, a Colômbia.

CHINA
O Brasil concedeu à China o status de “economia de mercado”, o que é uma piada, em troca de um possível apoio daquele país à ampliação do número de vagas permanentes no Conselho de Segurança da ONU. A China topou, levou o que queria e passou a lutar… contra a ampliação do conselho. Chineses fazem negócos há uns cinco mil anos, os petistas, há apenas 30…

DITADURAS ÁRABES
Sob o reinado dos trapalhões do Itamaraty, Lula fez um périplo pelas ditaduras árabes do Oriente Médio.

CÚPULA DE ANÕES
Em maio de 2005, no extremo da ridicularia, o Brasil realizou a cúpula América do Sul-Países Árabes. Era Lula estreando como rival de George W. Bush, se é que vocês me entendem. Falando a um bando de ditadores, alguns deles financiadores do terrorismo, o Apedeuta celebrou o exercício de democracia e de tolerância… No Irã, agora, ele tentou ser rival de Barack Obama…

ISRAEL E SUDÃO
A política externa brasileira tem sido de um ridículo sem fim. Em 2006, o país votou contra Israel no Conselho de Direitos Humanos da ONU, mas, no ano anterior, negara-se a condenar o governo do Sudão por proteger uma milícia genocida, que praticou os massacres de Darfur - mais de 300 mil mortos! Por que o Brasil quer tanto uma vaga no Conselho de Segurança da ONU? Que senso tão atilado de justiça exibe para fazer tal pleito?

FARC
O Brasil, na prática, declara a sua neutralidade na luta entre o governo constitucional da Colômbia e os terroristas da Farc. Já escrevi muito a respeito.

RODADA DOHA
O Itamaraty fez o Brasil apostar tudo na Rodada Doha, que foi para o vinagre. Quando viu tudo desmoronar, Amorim não teve dúvida: atacou os Estados Unidos.

UNESCO
Amorim apoiou para o comando da Unesco o egípcio anti-semita e potencial queimador de livros Farouk Hosni. Ganhou a búlgara Irina Bukova. Para endossar o nome de Hosni, Amorim desprezou o brasileiro Márcio Barbosa, que contaria com o apoio tranqüilo dos Estados unidos e dos países europeus. Chutou um brasileiro, apoiou um egípcio, e venceu uma búlgara.

HONDURAS
O Brasil apoiou o golpista Manuel Zelaya e incentivou, na prática, uma tentativa de guerra civil no país. Perdeu! Honduras realizou eleições limpas e democráticas. Lula não reconhece o governo.

AMÉRICA DO SUL
Países sul-americanos pintam e bordam com o Brasil. Evo Morales, o índio de araque, nos tomou a Petrobras, incentivado por Hugo Chávez, que o Brasil trata como uma democrata irretocável. Como paga, promove a entrada do Beiçola de Caracas no Mercosul. A Argentina impõe barreiras comerciais à vontade. E o Brasil compreende. O Paraguai decidiu rasgar o contrato de Itaipu. E o Equador já chegou a seqüestrar brasileiros. Mas somos muito compreensivos. Atitudes hostis, na América Latina, até agora, só com a democracia colombiana. Chamam a isso “pragmatismo”.

CUBA, PRESOS E BANDIDOS
Lula visitou Cuba, de novo, no meio da crise provocada pela morte do dissidente Orlando Zapata. Comparou os presos políticos que fazem greve de fome a bandidos comuns do Brasil. Era a política externa de Amorim em ação.

IRÃ, PROTESTOS E FUTEBOL
Antes do apoio explícito ao programa nuclear e do vexame com o tal “acordo”, Lula já havia demonstrado suas simpatias por Ahmadinjead e comparado os protestos das oposições contra as fraudes eleitorais à reclamação de uma torcida cujo time perde um jogo. Amorim foi o homem a promover essa parceria…

Leiam, abaixo, o que disse um general sobre a indicação de Celso Amorim para o Ministério da Defesa, para o colunista Reinaldo Azevedo, da revista Veja:

Conversei ontem à noite com um general do Exército, cujo nome não declinarei por motivos óbvios, sobre a indicação de Celso Amorim para o Ministério da Defesa. Suas palavras são uma boa síntese de como os militares receberam a decisão: “Só não vou dizer que se trata de uma provocação, de uma escolha maliciosa, porque pode ser algo ainda pior do que isso: tenho para mim que a presidente Dilma Rousseff não tem noção do que está fazendo nessa área”. Lancei uma pequena provocação: “Chegou-se a falar no deputado Aldo Rebelo, que é do PC do B, o partido que fez a guerrilha do Araguaia. Seria preferível a Amorim?” O general não hesitou: “Seria! Parece-me que o deputado Aldo tem tido um comportamento muito correto na Câmara e tem se tornado notável por defender os interesses nacionais contra certo globalismo que não dá a mínima para o país porque obedece a comandos que não têm pátria”.

segunda-feira

Em "O Popular" de 01/08/2011

Alguns(mas) advogado(a)s, antes de colocarem o seu talento(?) à serviço de sua majestade, deveriam procurar, de alguma maneira, ler mais, por exemplo, para não incorrerem na situação vexaminosa de ver seu esforço ir pelo bueiro abaixo.

O crime de lesa-majestade.

Art. 1o. - Lesa-majestade quer dizer traição cometida contra a pessoa de Sua Sacra Majestade Imperial ou Seu Imperial Estado, que é tão grave e abominável crime, e que os antigos sábios tanto estranharam que o comparavam à lepra, porque, assim como esta enfermidade enche todo o corpo, sem nunca mais se poder curar, e empece ainda aos descendentes de quem a tem e aos que com ele conversam, pelo que é apartado da comunicação da gente, assim o erro da traição condena o que a comete e empece e infama os que de sua linha descendem, mesmo que não tenham culpa.

------------------------------------------
Estamos no Século XXI, já adentramos a segunda década. Uma frase muito bem escrita diz que "evoluir, muitas vezes, significa preservar certos valores, costumes. Não é o caso do crime de "lesa-majestade", mesmo porque há muito deixamos de ser um império, somos, desde o final do século XIX, uma república. Mas tem gente que se acha intocável, majestoso, imaculado e tenta trazer para o presente, preceitos jurídicos que mais servem para identificar o caráter tirânico do demandante do que fazer justiça.
Lesa-majestade,Kkkkkkkk!!! Majestade o escumbal. Bonecão!!!

domingo

Kkkkkkkkkkkkkaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiahihihihihihihihihihihihihiuiuiuiuiuiuiuuiuiiuuuuiukkkkkkkk
ahhh! eu tô maluco! aiaiaiaiaiaiaiaiiuhuuhuuhu.Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


segunda-feira

Ou o Brasil acaba com o PT, ou o PT acaba com o Brasil.

Bandidagem: PT., é assim que se escreve.

Reinaldo Azevedo - Colunista da Veja

O crime como uma categoria política

Os petistas dizem se preocupar tanto com a desigualdade social não por humanismo ou por senso de justiça, mas porque ela oferece um excelente pretexto para o estado autoritário e confere certo sentido moral às ilegalidades praticadas para a construção da hegemonia partidária. As misérias humanas — e a conseqüente necessidade de criar o novo homem — são o fundamento dos dois grandes totalitarismos do século passado: fascismo e comunismo. Ambos têm mais em comum do que gostam de admitir fascistas e comunistas.

Não existe regime de força que não tenha se instalado prometendo promover o bem comum. Aliás, as tiranias precisam esvaziar os indivíduos de todas as suas verdades e necessidades “egoístas” em nome da coletividade, que será representada por um partido ou por um condutor das massas — em certos casos, por ambos.

Todos nos fartamos do discurso de Luiz Inácio Apedeuta da Silva, que se apresentou como o “pai” do povo, saindo, como anunciava a propaganda eleitoral petista, para deixar em seu lugar a “mãe de todos os brasileiros”. Ditadores e candidatos a tiranos gostam da idéia de que são chefes de uma grande família, da qual esperam uma ativa e entusiasmada obediência. Afinal, “eles” sabem o que é melhor para “nós”, mergulhados que estamos em nosso egoísmo, comprometidos com uma visão parcial de mundo, sem entender, muitas vezes, as decisões que são tomadas para nos salvar… Quem de nós nunca discordou, afinal, a seu tempo, de uma decisão do pai ou da mãe? Impossível, no entanto, supor que agissem para nos prejudicar. Tampouco imaginávamos tomar para nós o lugar da autoridade. Pais e filhos não são — e nem devem ser — uma comunidade democrática, certo?

O PT se consolidou com a fantasia de que um partido — e, dentro desse partido, um homem, o pai — seria o porta-voz dos excluídos, que, afinal, estariam reivindicando a sua cidadania. De modo emblemático, Lula passou várias antevésperas de Natal em companhia dos catadores de papelão, tornados “cidadãos-recicladores”. Estava anunciando, diante de uma imprensa freqüentemente basbaque, que excluídos também são cidadãos, ainda que dentro de sua exclusão. Um líder e um partido, ungidos pela necessidade de “mudar o Brasil”, podem atropelar leis, moralidade, costumes, valores, tudo… Estão imbuídos de uma missão.

Apurem bem os ouvidos. Ouve-se já certo sussurro. Talvez se torne um alarido. Mas o que é isso? O que será que será que andam suspirando pelas alcovas e sussurrando em versos e trovas? O que será, que será que andam combinando no breu das tocas, que andam acendendo velas nos becos e já estão falando alto pelos botecos? O que será, que será que não tem conserto nem nunca terá? O que não tem tamanho… Cito este plágio que Chico Buarque fez de Cecília Meireles (Romanceiro da Inconfidência) para emprestar, assim, certa grandeza poético-dramática a mais uma conspiração dos petistas contra a moralidade, o dinheiro público, a decência e tudo o mais que vocês julgarem adequado a homens de bem.

Lula já fez saber ao mercado político que ele não concorda com a “execução sumária” dos patriotas do PR. E fez chegar a sua avaliação na forma de uma “preocupação”. Estaria temendo o isolamento de Dilma Rousseff. José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, afirmou ontem que vai avaliar se há motivos suficientes para a Polícia Federal abrir um inquérito para apurar as sem-vergonhices no Ministério dos Transportes. Já foram demitidas 16 pessoas da cúpula da pasta e do Dnit, mas ele está cheio de dúvidas. Tarso Genro (PT), atual governador do Rio Grande do Sul e chefe da Polícia Federal (era ministro da Justiça) quando se deu boa parte da bandalheira, saiu ontem em defesa de seu amigo Hideraldo Caron, um dos chefões do Dnit, mantido até agora no cargo. Ele é petista. Tarso deixou claro: se o homem fez algo de errado, não foi em benefício pessoal.

É a primeira vez que se ouve voz assim no PT? Claro que não! Nem é necessário remontar ao mensalão. Durante a crise que colheu Antonio Palocci, Gleisi Hoffmann, hoje sua sucessora, mas senadora à época (PT-PR), deixou claro que não conseguia defender o então ministro por uma razão simples: ele tinha agido apenas em defesa do próprio interesse. Ou seja: no caso do mensalão ou dos aloprados, crimes foram cometidos em benefício do… partido! Nesse caso, tudo bem…

Setores do PT estão pedindo, em suma, que tudo fique como está. Seu esforço em favor da impunidade, no entanto, teria, sim, uma raiz ética, entendem? Insistir na investigação pode prejudicar o partido, a convivência com os aliados, a agenda que o governo tem pela frente, incluindo, obviamente, os pacotes sociais destinados a combater a miséria. Tarso chegou a indagar por que essas notícias só apareceram agora… Conhecedor da arte de desestabilizar governos (como experimentou Yeda Crusius), ele conspira em favor da impunidade ao sugerir que há uma conspiração contra os patriotas do Ministério dos Transportes…

Foi-se o tempo “esse-dinheiro-não-é-meu”, de Paulo Maluf! Mesmo para ele, o errado era “errado” e, por isso, negava tudo. Não há nada a favor desse emblemático político a não ser uma coisinha: nunca tentou chamar crimes de virtudes — negando, claro!, que os tivesse cometido. Com o petismo, é diferente: o roubo e a lambança em nome da causa têm um propósito superior. Fazer sacanagem para enriquecer é reprovável; para construir o partido, bem, aí é não só aceitável como pode distinguir o militante com uma medalha de “Honra ao Mérito”.

À medida que a lei é afrontada com tal vigor e que o malfeito vira um instrumento corriqueiro da ação política, os brasileiros têm expropriada a sua cidadania. Se para eles, todo excluído é cidadão, que mal há em considerar todo cidadão um excluído?

Dedico este texto ao Bonecão e curriola

Direto ao Ponto - Augusto Nunes - Colunista da Veja

O governo aperfeiçoa o Código Especial para Bandidos de Estimação com a prescrição do crime por perda de emprego

Protegida pelo Código Especial para Bandidos de Estimação, criado por Lula e ampliado por Dilma Rousseff, jamais esteve tão longe da cadeia a turma que nunca roubou tanto. Lula inventou a absolvição por falta de provas relacionadas em ordem cronológica, num papel manuscrito, com a assinatura do criminoso e firma registrada em cartório. Sem esse documento, ficará em liberdade até o figurão federal que esganar a mãe na tribuna presidencial durante um desfile de 7 de Setembro. Dilma, sem paciência para esperar a prescrição por decurso de prazo, inventou a prescrição por perda de emprego. Para a presidente, afastar do cargo um companheiro pecador é pior que prisão perpétua, cadeira elétrica, exílio ou degredo. Quem é despejado do gabinete no Planalto não precisa prestar contas à Justiça. A perda do emprego extingue a culpa.

As duas brasileirices cafajestes socorreram, em ocasiões distintas, o reincidente Antonio Palocci. Na primeira, o ex-ministro da Fazenda escapou das punições reservadas a estupradores de sigilo porque só faltava, na montanha de evidências contundentes, o atestado de culpa com selo e carimbo. Na segunda, o ex-chefe da Casa Civil livrou-se das sanções aplicadas a traficantes de influência por ter devolvido a sala onde ficou entrincheirado mais de 20 dias.

A absolvição por falta de provas demorou três anos. A prescrição pela perda de emprego produziu efeitos já na cerimônia do adeus. Sem ter revelado a lista de clientes aos quais prestou serviços, sem ter confessado que tipo de serviço andou prestando, Palocci partiu ouvindo de Dilma um palavrório bem mais elogioso do que o recitado quando chegou, além de duas lágrimas furtivas. Despediu-se do Planalto com uma autorização para gastar na planície, sem maiores explicações, a bolada que juntou inexplicavelmente.

Todos contemplados pela malandragem que favoreceu Palocci, os quadrilheiros apeados do Ministério dos Transportes esperam sair da mira do Ministério Público e da Justiça assim que saírem do noticiário da imprensa. Punidos com o confisco do cargo, todos logo estarão exibindo por aí a expressão sofrida de quem cumpriu uma pena duríssima. Nem precisam procurar trabalho. O produto do roubo já garante a velhice sem sobressaltos financeiros.

Pois nem isso parece suficiente para que Luiz Antonio Pagot e seus padrinhos sosseguem. O senador Blairo Maggi, o vice Michel Temer e o inevitável Gilberto Carvalho, porta-voz de Lula no atual governo, ainda não engoliram a devolução a Mato Grosso do gerente de bando com tantos serviços prestados à nação em geral e às empreiteiras amigas em particular. A trinca segue convencida de que é preciso manter na direção geral do DNIT um formidável prontuário.

Se a reivindicação for atendida, Dilma terá inventado outro espanto: a prescrição do crime por ameaça de perda de emprego. E o Código Especial para Bandidos de Estimação estará perto da perfeição. Nos países civilizados, uma autoridade afastada por práticas ilícitas é transferida sem escalas do gabinete para um tribunal. No paraíso dos corruptos impunes, a demissão a pedido é um salvo-conduto para gastar em paz os bilhões que tungaram dos brasileiros.

Com Lula, o início de tudo

Direto ao Ponto - Por Augusto Nunes (Colunista da Veja)
21/07/2011

Lula capricha na pose de inocente enquanto trata de afastar-se do local do crime

Desde a descoberta da quadrilha em ação no Ministério dos Transportes, o ex-presidente Lula imita o punguista que capricha na pose de inocente enquanto se afasta da vítima para descer do ônibus no primeiro ponto. A expressão de culpado sem culpa não convence nem passageiros que estão cochilando. Até um bebê de colo sabe que a parceria com o PR é mais uma das incontáveis obras repulsivas que compõem a verdadeira herança maldita.

Foi Lula quem doou a Valdemar Costa Neto, ainda em 2002, o Ministério dos Transportes. Na infame reunião sigilosa que deu origem ao esquema do mensalão, o candidato ganhou o vice José Alencar em troca dos direitos de exploração da usina de contratos superfaturados e negociatas multimilionárias. Foi Lula quem descobriu, em 2004, que Alfredo Nascimento era o homem certo para o comando do território sem lei. Ficou tão satisfeito com a performance do ministro meliante que o reinstalou no cargo no segundo mandato e exigiu de Dilma Rousseff que ali o mantivesse.

Só agora, muitos dias depois de desbaratado o bando, o animador de auditório criou coragem para murmurar platitudes sobre mais um escândalo. Primeiro, balbuciou que a sucessora está agindo direito e mudou de assunto. Nesta quinta-feira, subiu o tom de voz dois ou três decibéis para fazer de conta que não tem nada com isso. ““Se as pessoas agirem com honestidade e com decência, todo mundo poderá ser absolvido”, recitou o Padroeiro dos Companheiros Pecadores. “Se cometeram erros, as pessoas devem ser punidas. Isso vale para a presidente Dilma, valia para mim e vale para qualquer um”.

O cinismo que jorra do palavrório é tão nauseante quanto previsível. Haja estômago para suportar um Lula discorrendo sobre honestidade e decência sem temer que um raio bíblico lhe caia sobre a cabeça. Mas nada tem de surpreendente ouvi-lo qualificar de “erros” os assaltos aos cofres públicos que se repetem em ritmo de Fórmula-1 há oito anos e meio, com as bênçãos do Planalto, e não têm data para terminar. Caso use as palavras certas ─ ladroagem, corrupção, roubalheira, fora o resto ─, Lula terá de admitir que nunca antes neste país um presidente da República juntou tantos bandidos no mesmo governo.

O Ministério dos Transportes é só mais um entre quase 40. O PR é apenas uma ramificação da imensa quadrilha federal.

sexta-feira

Para bons entendedores...

Um veículo de comunicação só pode se comportar com independência, exercendo seu papel de fiscal rigoroso dos poderes públicos e privados, se for economicamente independente. É uma pena que por toda parte tão poucos de fato o sejam.

Medida Cautelar

No dia dois de setembro de dois mil e dez, o plenário do Supremo Tribunal Federal, reuniu-se para proclamar o referendo de Medida Cautelar na Ação Direta de Inconstitucionalidade de nº 4451.
O relator do processo: Ministro Ayres Brito.
O requerente da Ação Cautelar: Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão.
Requeridos: Presidente da República / Congresso Nacional

EMENTA: MEDIDA CAUTELAR EM AÇÃO DIRETA DE
INCONSTITUCIONALIDADE. INCISOS II E III DO ART. 45 DA LEI
9.504/1997.

Seria interessante, inteligente e de incontestável racionalidade se alguns advogados, ao invés de se prestarem ao serviço de bisbilhotar o espaço cibernético e, como abutres, saírem a cata de coisa podre para, à serviço do vil metal, prestar obediência ao mandante, usassem sua desejável capacidade e tempo para apreender e aprender o que, de fato, se coloca como de real utilidade para o bom profissional, na imensidão do espaço virtual. Eu adoto essa atitude para o desempenho do que faço, profissionalmente e, para saciar meu afã de estar sempre conectado e atualizado com meu tempo, busco, com frenética assiduidade, inteirar-me sobre o que há de novidade para apresentar um bom trabalho.
Faça isso, senhor advogado(a). Aproveite e reflita sobre se não seria de boa monta, processar a cigana que lhe avalisou em seu intento de tornar-se um profissional das ciências jurídicas.

quarta-feira

A corrupção, sempre, numa boa direção

Brasil abriga até 43% da corrupção mundial

Yahoo Notícias

O Brasil responde por 26% a 46% de todo o dinheiro movimentado pela corrupção no mundo. O índice é fruto de dados da organização Transparência Internacional projetados pela Federação das Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp).
Enquanto as perdas médias globais anuais com o problema giraram em torno de R$1 60 bilhões nos últimos anos, o prejuízo nacional pode ter chegado a R$ 70 bilhões por ano.

Casos para exemplificar as estatísticas não faltam. O escândalo do Ministério dos Transportes é o mais recente. Suspeita-se que foram desviados R$ 4,5 bilhões por meio de aditivos em contratos referentes a 46 obras de ferrovias, entre março de 2010 e junho de 2011. Mesmo assim, esses números só entram nas projeções da Fiesp nos próximos relatórios.

O estudo atual mostra dados até 2008, com R$ 41,5 bilhões desviados. No mundo, entre 1990 e 2005, estima-se que foram desviados aproximadamente U$ 300 bilhões (em torno de R$ 472,5 bilhões), quantia que deve ter dobrado nos últimos seis anos, segundo o Relatório Global da Corrupção, da Transparência Internacional.

O governo Dilma é uma "continuação" do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que ambos formaram o Ministério dos Transportes da mesma forma que os demais ministérios, indicando nomes encaminhados por lideranças políticas da base aliada. "Quem nomeou o ministro dos Transportes foi o Lula e a Dilma, quem manteve o ministro dos Transportes foi a Dilma e o Lula", relembrou.

Além das demissões já anunciadas - e daquelas prometidas -, o governo tem de se empenhar na punição dos envolvidos no esquema de corrupção, lembrando que há nomes de petistas envolvidos. "O PT também estava dentro dos Transportes, como em quase tudo e com apetite enorme", afirmou o tucano, numa alusão indireta ao diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) Hideraldo Caron.

"O que o governo faz é incentivar a criação de partidos que não são de esquerda, de centro, de direita nem de coisa nenhuma. Esse tipo de partido que se forma não sei pra quê e, na verdade, no final é para tomar cargos do governo", criticou.

_____________________________________

E por falar em corrupção...

Lembram do Delúbio Soares, aquele bandido do PT, integrante da quadrilha do Mensalão, o maior esquema de corrupção de que se tem notícia neste país, e que o MULA disse que era invenção da oposição? Pois é, semana passada ele esteve aqui na cidade e foi recebeido pelo digníssimo prefeito e com ele almoçou em restaurante chique na companhia de alguns secretários da prefeitura. Quem pagou a conta? Vai saber né. E aquela velha história: diga-me com quem anda e te direi quem é!

Pois gente, o cidadão recebe um bandido com pompa de autoridade e depois eu é que estou sendo processado por estar "denegrindo a imagem" dele. Que merda né!?!?!

sábado

Ainda não foram?

Pois é gente, mais uma semana e nada de máquina aparecer pra terminar o que começaram.
A única coisa que apareceu foi a poeira, muita poeira e alguns reais a mais na conta de água, porque pra diminuir, um pouco, a poeira e pra lavar a imundice que vai pra dentro de casa, só mesmo com muita água. Quem vai pagar a conta? Eu, claro. E pagaria mais caro ainda por qualquer quantidade de água que possa lavar tanta falta de respeito para com o contribuinte.
Vão para o inferno, cambada de JECA.

quarta-feira

sexta-feira

CRETINOS!!!

É isso mesmo

Pois é gente.
Há dois anos que moro na Rua Leopoldo de Bulhões, bem no final da rua, no bairro São João.
O asfalto termina poucos metros adiante de minha casa. A poeira levantada pelos poucos veículos que trafegam pelo trecho da rua sem asfalto, incomoda mas não muito, muito menos que o esgoto que, semanalmente, supita pela tubulação antiga e que, há muito, precisa ser trocada, mas os (ir)responsáveis pelo serviço fingem que o problema não é com eles.
Pois bem, semana passada fui surpreendido pela movimentação de máquinas, tratores, motoniveladora, etc. Assuntei e me disseram que iriam asfaltar. Uma semana depois e as máquinas sumiram e a poeira triplicou porque com a rua patrolada o movimento aumentou.
E nós, moradores, estamos sendo submetidos a uma situação indigna de quem paga os impostos.
Gostaria que as autoridades, secretario de obras, prefeito, o capeta que for, viesse aqui em casa pra eu mostrar a sujeira com a qual estamos sendo obrigados a conviver. Ninguém vai pagar pra limpar, pra lavar, nada.
Gostaria, também, que as autoridades, secretário de obras, prefeito, o capeta fossem para o inferno, com asfalto, com poeira, com a merda. Se bem que o capeta já está no inferno de forma que podem economizar na passagem e gastar com uma paradinha na baixa da égua.

quinta-feira

Até quando

Pois é gente, dias atrás publiquei, todo animado, algumas fotografias que mostravam máquinas trabalhando próximas à minha residência dando início aos trabalhos de pavimentação do trecho da rua lá de casa. Aí, pra não fugir ao costume, o que é que apareceu no local? O quê? O quê? Isso mesmo, o esgoto (vejam foto acima). Aí fiquei imaginando: "se já tivemos a operação Ouro Negro, agora teremos o Cocô Negro". De qualquer forma o asfalto é muito bem vindo, com ou sem cocô. Todavia, desde o início da semana que máquina alguma aparece para dar prosseguimento à obra.
As imagens abaixo são de dias diferentes e mostram que tá tudo parado, até o cocô parou de rolar. Se antes o incômodo da poeira era grande, imaginem agora que foi feita a terraplenagem na rua. Antes os carros trafegavam devagar,agora ele aumentaram a velocidade pois o piso da rua ficou sem buracos. Sem falar na terra trazida pelos pneus das máquinas para a parte já asfaltada da rua.
É bem verdade que não se pode elogiar. E assim, somos obrigados a conviver com poeira, cocô na rua por obra e graça da incompetência da administração pública.
Até quando esperar, a plebe ajoelhar, esperando a ajuda do divino Deus.



Lá e aqui, aqui e acolá, tudo na mesma

Em seis meses de governo, a gestão da presidente Dilma Rousseff se notabilizou pela profusão de escândalos - mais do que por medidas concretas de governo. Dois ministros foram demitidos. Outros dois trocaram de lugar. Dois se safaram por pouco. Outros dois ainda devem explicações.
Antonio Palocci, chefe da Casa Civil, comandava uma consultoria bem-sucedida antes de ingressar no governo. O crescimento patrimonial espantoso levantou suspeitas de que o braço-direito da presidente autou como lobista. Quando resolveu se explicar, Palocci já era um cadáver político.
Sem o principal articulador político do governo, a presidente se viu novamente em apuros. Luiz Sérgio, ministro de Relações Institucionais, tinha poderes limitados. Dilma Roussef evitou mais uma demissão: preferiu rebaixar o petista a ministro da Pesca. Luiz Sérgio trocou de cargo com Ideli Salvatti.
A paz aparente durou pouco tempo. Aloizio Mercadante, responsável pela pasta de Ciência e Tecnologia, também ficou exposto por uma revelação feita por VEJA. Foi ele quem ordenou a compra do falso dossiê contra o então candidato tucano ao governo de São Paulo, José Serra, em 2006. O episódio também respingou em Ideli Salvatti: então senadora, ela ajudou a espalhar o material para a imprensa.
Mercadante e Ideli continuam sob fogo da oposição. O primeiro deve ir à Câmara dos Deputados se explicar. A segunda é alvo de requerimentos de convocação, mas os governistas atuam para blindar a petista.
O último escândalo teve um desfecho nesta quarta-feira. Alfredo Nascimento, ministro dos Transportes, deixou o cargo depois que VEJA revelou o funcionamento de um grande esquema de corrupção na pasta. Dilma ainda protelou a demissão por quatro dias.
Motel - Houve também episódios que não chegaram a derrubar ministros. Ana de Hollanda, da Cultura, foi flagrada usando verba pública para passar o fim de semana no Rio de Janeiro, onde tem casa. Devolveu o dinheiro e ficou no cargo.
Pedro Novais havia aproveitado verba da Câmara dos Deputados para custear uma farra coletiva em um motel de São Luís. Devolveu o dinheiro e ficou no cargo.
Fernando Haddad, campeão de trapalhadas também no governo Lula, manteve a média na nova gestão. Defendeu a distribuição de um livro que ensina crianças a falar errado e se contradisse ao tentar justificar a distribuição do chamado "kit-gay".

______________________________________________

E vocês acham que a malandragem é privilégio de ministros e deputados? Leiam o Jornal "Dito & Feito" dessa semana.

sexta-feira

Até que enfim.











Gente boa é o seguinte. Cheguei em casa na hora do almoço e me deparei com algo surpreendente. Vejam as imagens. Sabem o que significa? Vão asfaltar a continuação da rua de casa. Isso significa menos, muito menos poeira que, em casa e na vizinhança, incomoda bastante. De forma que rendo meu reconhecimento e agradecimento à prefeitura pela obra. Issaaaaa!!!




quarta-feira

A vida imita a piada

Piada antiga e nem tão engraçada é mais ou menos assim.
Após a criação, a cúpula celestial se reuniu com o todo poderoso para avaliações da grande obra. Um dos assessores fez um comentário: Senhor, que belo país é o Brasil, o clima, o solo, as florestas, sem terremoto, vulcões, muitas riquezas naturais e blá, blá, blá. Bela obra Senhor!
Ao que o todo poderoso respondeu: espere pra ver o povo que vai morar lá.

Bem, vamos voltar um pouco no tempo, em uma aula de cursinho, de interpretação de texto. Comecemos pelas palavras do assessor.
A dimensão geográfica do Brasil lhe confere a condição de ser um dos maiores países do planeta;
O Brasil possui as maiores porções de terras agricultáveis do mundo;
O Brasil possui um dos subsolos mais ricos do mundo e uma variedade de minérios com aproveitamento industrial que nenhum país do mundo tem;
O Brasil possui a maior floresta tropical do mundo;
Os recursos hídricos brasileiros são os mais abundantes da terra;
O aquífero Guarani é um dos maiores do mundo;
O litoral brasileiro é um dos mais extensos e belos do mundo, a costa brasileira é uma das mais piscosas do planeta;
A biodiversidade da flora brasileira é uma das mais ricas e propicia um aproveitamento medicinal que não se encontra em nenhum outro país;
A fauna é composta por um número de espécies sem equivalência e muitas espécies ainda não foram catalogadas;
O sol brilha o ano todo o que possibilita um maior aproveitamento da luz para ser transformada em energia;
O Brasil possui uma das maiores reserva petrolíferas do planeta;

Vamos tentar interpretar, agora, as palavras do todo poderoso.

O Brasil é um dos países mais corruptos do mundo;
O cardápio de leis do Brasil é dos mais sortidos, todavia, os índices de impunidade são os mais expressivos do mundo democrático;
A justiça brasileira é das mais morosas e a estrutura do judiciário é pesada, arcaica, inoperante;
A quantidade de mandados de prisão ainda por serem executados tem números dos mais expressivos do mundo e a quantidade de criminosos soltos é tão grande quanto o número de criminosos presos;
O sistema penitenciário do Brasil é dos piores do mundo;
O salário de deputados e senadores são dos maiores do mundo,;
O salário mínimo é dos menores do mundo;
A taxa de juros do Brasil é das mais altas do mundo;
A dívida interna do Brasil está entre as maiiores do mundo ocidental
O Brasil possui uma das maiores populações do mundo que vive abaixo da linha da pobreza (miséira), apesar de o governo dos bandidos preconizar que fizeram a inclusão;
A carga tributária do Brasil está entre as maiores do mundo;
Em contrapartida, os serviços públicos como saúde, transporte coletivo, ensino público, segurança pública, etc, estão entre os piores do planeta;
Pagamos pela gasolina mais cara do mundo, apesar de o governo dos bandidos dizer que somos autossuficientes em petróleo;
Pagamos pelos carros mais caros do mundo e o lucro das montadoras está entre os maiores do planeta. Em alguns casos chega a ser 3 vezes maior que em outros países;
A internet banda larga do Brasil está entre as mais caras e piores do mundo;
Servimo-nos dos piores serviços aeroportuários;
A estrutura portuária brasileira está entre as mais arcaicas e as tarifas pela utilização dos serviços portuários são dos mais caros do mundo;
A taxa de desperdício de alimentos no Brasil é das mais altas do mundo;
Nossas estradas são das piores que existem apesar de pagarmos muito caro para que elas sejam mantidas em bom estado;
Em compensação somos o país do carnaval e temos o melhor futebol do mundo.
Por falar em futebol, vejam que interessante:
O estádio do Palmeiras está sendo reconstruído em uma parceria entre o clube e empresas privadas. Custo da obra: 300milhões de reais. O estádio do Grêmio, da mesma forma. Custo da obra: 450milhões de reais.
O estádio Itaquerão, do Corinthians, que além de empresas privadas terá muito dinheiro público, está orçado em 850milhões de reais, ou seja, um estádio construído com dinheiro público custa mais que dois estádios construídos com dinheiro particular. Perceberam a sutil diferença?
Outra:
Na Alemanha, recentemente, foi inaugurado um estádio com capacidade para 34 mil torcedores e é dotado de todos os recursos tecnológicos que a modernidade exige. Sabe quanto? Em reais? 134 milhões. De reais!!!
A reforma do Maracanã para sediar a copa de 2014 custará 1bilhão de reais (por enquanto), ou seja, daria para construir 10 estádios iguais ao alemão. Sem falar que para receber os Jogos Panamericanos, o velho Maraca havia sido reformado pela bagatela de 600 milhões de reais.
Ia esquecendo: o Brasil possui o solo mais fértil do mundo. Talvez isso explique porque o país é conhecido, também, como República de Bananas. Nada mais pertinente.

sábado

Com a palavra Carlos Vereza

Queridos Hackers que invadiram os sites do "governo", parabéns! Na esperança que um de vocês leia meu blog, torço para que não apenas acessem, mas divulguem para o Brasil e o mundo as falcatruas, tráficos de influência, obras superfaturadas, enfim, divulguem e façam uma campanha contra o maior esquema de corrupção jamais visto neste país!

Pode ser o começo de uma reação à essa quadrilha que mantém o povo alienado com bolsas-anestesias, e saqueiam esta nação com uma avidez despreocupada com punições!

Não passa uma semana sem que surjam escândalos ligados ao "partido da ética e da moralidade na política!", Trinta e oito ministérios para "empregar" os capangas ,que, ou perderam eleições, ou precisam de uma "boquinha...

Denunciem a cooptação de todos os poderes, a evidente falta de governabilidade, com o palanqueiro Lula mantendo em verdade um governo paralelo!

Não esmoreçam! Enviem denúncias para o Tribunal de Haya, sobre os constantes assassinatos de líderes rurais; o abandono das populações indígenas...Enfim, vocês sabem melhor do que eu o caminho da sagrada indignação a ser tomado!

Convoquem marchas de protesto em todo o país! Vocês possuem o domínio de uma tecnologia que pode arrancar o povo e os poucos intelectuais honestos, de uma letargia que termina por ser cúmplice da roubalheira generalizada!

quinta-feira

A corrupção

Quem leu a revista Veja da semana passada pôde concluir algo que, há muito, já se sabe: o Brasil é um dos países mais corruptos do mundo, se não for o mais. Pior, a corrupção tornou-se uma prática institucionalizada e balizada na lei. De forma que, legalmente, pouco pode-se fazer para estancar o sorvedouro do dinheiro público, dinheiro que poderia curar o estado de putrefação em que se encontra a saúde pública; dinheiro que poderia revigorar o combalido sitema previdenciário brasileiro, dinheiro que poderia proporcionar um aumento mais digno do salário mínimo. De acordo com a matéria da Veja, nunca em outro governo, um órgão estatal sugou tanto dinheiro público como a Infraero no governo do grande molusco, do Mula da Silva, "o bêbado". Essa comprovação é da Polícia Federal, em cujo relatório sobre um extenso levantamento das obras públicas, fornece substância para concluir aquilo que já se sabia: desde Lula somos governados por uma quadrilha de ladrões de terno e gravata e, agora, de saia, também. Ou será que o Palocci é a ovelha negra do governo? Um ministro que já havia saído pela porta dos fundos no governo do grande molusco, pelo seu envolvimento com a roubalheira, é reconduzido ao cargo mais importante da burocracia e, novamente, teve que sair pela porta dos fundos. Aqui mesmo no Porconauta tempos atrás, publiquei texto dando conta de que, em estudo realizado pelo TCU concluiu que 92% dos municípios brasileiros tinham suas contas irregulares.
Fazemos parte dessa estatística? O que vocês acham?
E na mesma edição da revista outras revelações sobre o envolvimento do ministro meliante em atos ilícitos são relatadas a partir do levantamento de farta documentação. Desta feita, usando de um pobre coitado como laranja para acobertar a roubalheira. E como diz a música "laranja madura na beira da estrada tá bichada oi Zé, ou tem marimbondo no pé". O que as reportagens da Veja mostram é que não se trata de marimbondo no pé de laranja, e sim, não de um, mas de vários vorazes zangões. E por falar em laranja nem é preciso dizer que ela é, também, muito apreciada no lado de baixo do Equador.

quarta-feira

Campanha

Professor salário de R$ 728,00 para preparar para a vida;
BOPE salário de R$ 2.260,00 Para arriscar a vida;
Bombeiro salário de R$ 960,00 Para salvar vidas;
Médico salario de R$ 1.260,00 para manter a vida;
E o deputado federal? Ganha R$ 26.700,00 para ferrar a vida dos outros!
(copie e cole se quiser e faça parte da campanha dos Bombeiros)
Durante o mandato do grande molusco, o Palocci, então ministro da fazenda, teve que sair pela porta dos fundos em função de seu envolvimento com o ilícito. Agora, no governa do Poste, acontece a mesma coisa, saída estratégica pelos fundos. O motivo, claro, é o mesmo: envolvimento com a falcatrua. Aí resolvi prestar uma homenagem ao Palocci re-publicando a imagem acima.

Imeudeus

O Catarrão, em edição extraordinária, mostra em primeira mão, o protótipo do IMeudeus.